sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Tag: 15 coisas legais que aconteceram em 2015

Essa Tag foi criada no blog Depois dos quinze e adorei a ideia. Como a própria Bruna disse: reclamar é fácil, mas o que precisamos é de energia positiva. E tem forma mais divertida de fazer isso do que relembrar as coisas legais que aconteceram esse ano? Entrei nessa onda e sintam-se livres para entrar também.

1- Descobri minha vocação

 Em 2014 eu estava estudando jornalismo e percebi que não gostava daquilo. Sabia que queria fazer algo que envolvesse escrita, então pensei que trabalhar em uma editora era o certo para mim. Depois de alguns meses na faculdade de Letras, percebi que o que quero realmente é ser professora. Vou me esforçar para ensinar (e aprender com) meus alunos e dar o meu melhor. A missão da minha vida é fazer meus alunos amarem português tanto quanto eu amo.



2- Viajei para outro estado

Até esse ano, eu nunca havia viajado para fora de São Paulo, mas queria conhecer outros estados brasileiros. Nesse ano tive a oportunidade de conhecer Poços de Caldas. É um lugar lindo, o clima é bem gostoso, e é Minas Gerais. Que venham mais viagens para outros estados!

3- Perdi o medo de conduzir

Não sou uma dessas pessoas que tiram carta e já saem dirigindo. Tive muito medo de dirigir, na verdade, e ao invés de enfrentar esse medo, fui fingindo que o problema não existia. Algumas circunstâncias me obrigaram a enfrentar isso, e hoje vou para qualquer lugar (dentro da cidade) na minha moto.

4- Fiz big chop

Para quem não sabe, big chop é quando você corta todo o comprimento de seu cabelo que estiver com químicas alisantes. Meu cabelo é cacheado e eu caí na besteira de alisar. Arrependida, comecei a fazer a transição, que consiste cortar as pontas do cabelo aos poucos, até que a química seja removida. Esse processo é bastante sofrido e lento, pois ao esperar o cabelo crescer para tirar pouquíssimos centímetros da química, o aspecto geral fica muito feio: a raiz fica cacheada e volumosa, o meio e as pontas ficam lisos e murchos. Após dois anos de transição resolvi fazer o big chop. Não me sinto nenhum pouco arrependida. Estou amando meus cachinhos.

5- Conheci pessoinhas maravilhosas

Tanto no trabalho quanto na escola, tive o prazer de conhecer pessoas novas. Entre essas pessoas estão as crianças de onde trabalho. Eu adoro crianças e fiquei feliz por cada minutinho que ficamos conversando, por confiarem em mim e por cada cartinha que recebi. Estão todas muito bem guardadas, assim como cada uma das crianças estão guardadas no meu coração.

6- Comecei seriamente com lolita

Lolita é um estilo muito lindo e eu queria fazer parte disso. Leio e acompanho vários blogs, sempre tentando aprender mais e criando coragem para me jogar nos babados e nas rendas. Finalmente comprei meus primeiros itens, consegui uma madrinha lolita e até conheci algumas lolitas locais. Ainda não fui a um metting, mas ano que vem darei um jeito de ir, nem que for em São Paulo.

7- Conheci a Ichigo

Ela é a minha maior inspiração em lolita, e além do estilo, aprendi muito com ela. Graças a ela eu conheci profundamente o feminismo, entendi ele e comecei a viver isso. Ela empoderou uma mulher (eu) e fiquei muito feliz por ter a oportunidade de dizer um oi para alguém tão importante para mim.



8- Andei realmente pelas ruas de São Paulo

Eu já tinha ido para São Paulo duas vezes para ir no Anime Friends e uma para ir ao show da Beyoncé. Como se pode imaginar, isso consistia em subir no ônibus, viajar até lá, descer do ônibus, entrar no local do evento, sair do local do evento, subir no ônibus, voltar para casa. Então a minha amiga Tainá se tornou modelo e está morando em São Paulo e eu fui visitá-la. Fomos no bairro da Liberdade, andamos de metro, ela me mostrou alguns lugares que ela achava legal. Simplesmente amei!

9- Estou realmente aprendendo a dizer não

Eu sofro da síndrome da boazinha. Muitas pessoas olham para isso e acham que eu quero agradar todo mundo, mas a realidade é que fui criada para achar que tinha que estar sempre disponível, topar tudo e ser legal. E todo mundo sabe que se você for muito legal as pessoas abusam. Esse ano eu finalmente criei vergonha na cara e comecei a dizer nãos. Ainda escapam alguns sins indesejáveis, porém estou evoluindo.

10- Gastei meu tempo e dinheiro com pessoas que amo

Sempre fui uma gastadeira de mão cheia e que sempre queria poupar. Entretanto, é bem difícil guardar dinheiro, concorda? Esse ano eu gastei meu dinheiro com coisas que me fazem feliz, como com meus familiares mais queridos, meu namorado e comigo mesma. É muito bom, experimentem!

11- Li mais

No geral, eu gosto de ler. Porém, por algum motivo eu fui me afastando da leitura. Esse ano, entretanto, eu consegui passar mais tempo em bibliotecas e livrarias e consegui ler muito mais – inclusive literatura clássica. E sim, apesar de eu fazer Letras, ainda não li grandes títulos da literatura clássica, como Macunaíma, Iracema ou Dom Casmurro.

12- Parei de jogar tanto joguinhos que consumiam meu tempo

Candy Crush, Angry Birds, Pet Rescue, entre outros do gênero consumiam bastante do meu tempo hábil. Em 2015 consegui me controlar e jogar só o suficiente. Jogos para mim são hobbies e não prioridade e foi nessa posição que os coloquei.

13- Desencanei dessa história de dieta

Se vocês já viram minhas fotos, sabem que não sou gorda. Mas, como toda mulher, sempre achava que não estava magra o suficiente. Entretanto, estou super nem aí com essa história de peso. Me preocupo sim em comer coisas saudáveis, e é claro que às vezes temos que mudar a alimentação por algum motivo plausível, como quando o peso realmente está sendo prejudicial à saúde ou quando algum acontecimento exige que mudemos nossos hábitos alimentares (anemia, colesterol, trabalho, intestino preso… por aí vai). Atualmente não me encaixo em nenhum desses casos, então estou relax quanto ao que como.

14- Meus pais completaram bodas de prata

Meus pais não são um casal perfeito, assim como qualquer outro, porém, eles se amam de verdade e esse ano fazem 25 anos de casados. Fiquei muito feliz por eles e espero ter alguém assim. Mais especificamente o Eduardo ><

15- Aprendi a deixar ir

Algumas pessoas são importantes em nossa vida em determinado momento, e depois simplesmente se vão. Seja pela distância, pelo término da amizade, morte ou qualquer outra coisa. Aprendi que as coisas boas não podem ser apagadas pelas coisas ruins – e nem as coisas ruins pelas coisas boas. Dessa forma, aprendi a armazenar as duas coisas e parar de me culpar por não ter dado certo ou pensar que eu poderia ter me esforçado mais. O que fiz naquele momento foi o que achei melhor e tenho que respeitar isso.



E essas foram as coisas mais legais que aconteceram comigo em 2015. Agora, estou deixando a Tag em aberto para quem quiser pegar e responder.


Um feliz natal para todos vocês! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por ler!

Seja educado
Deixe seu link para que eu possa visitá-lo
Sinta-se livre para compartilhar as postagens, mas dê os devidos créditos

Até a próxima!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 renata massa