quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Semana 38 – Desculpe, mas eu acho brega

Sou a “breguice” em pessoa, então seria natural pensar que não acho nada brega e que tudo pode, né? Claro que não. Como todo bom ser humano hipócrita eu me visto mal e ainda por cima fico achando determinadas roupas bem bregas. Faço isso tudo mentalmente, mas faço.

♥ Calça saruel



Quando eu vejo uma pessoa com uma dessas, não consigo evitar pensar que parece que a pessoa fez cocozinho na roupa e está dependurado ali na calça. Sim, tenho que admitir que têm pessoas que realmente combinam com essa peça, mas a esmagadora maioria não combina.

Sendo sincera, para mim a caça saruel é a coisa mais brega na qual consigo pensar. Existem coisas que eu não gosto de usar, mas não porque acho que são bregas, mas por gosto pessoal mesmo.


Post curtinho porque tenho que estudar para prova. See you!

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Capítulo 2 - Acordo



((Light))

Quando Ozaru disse que gostaria de fazer um acordo comigo, não entendi muito bem onde ele queria chegar. O que eu tinha que poderia interessar a ele?

– Acordo? Comigo? – não consegui esconder a surpresa em minha voz.

– Não entendo o espanto. Já disse que observei você em sua vida humana, era de se esperar que me impressionasse e quisesse... digamos... negociar suas opções. – Ozaru desdenhou.

– Opções? – me interessei. Se houvesse alguma forma de sair daqui, com certeza aproveitaria a oportunidade.

– Você pode escolher permanecer aqui durante toda sua eternidade, ou... – sorriu de forma enigmática.

– Ou...? – já estava ficando impaciente com todos esses rodeios e ele deve ter percebido, porque continuou:

– O que você me diria se te oferecesse a chance de voltar ao mundo dos humanos?

(...)

No silêncio mortal, tudo se encaixou. Ozaru queria que eu desse seguimento aos meus planos, fazendo com que Kira retornasse. Um sorriso obsessivo saiu de meus lábios. “O retorno do deus do novo mundo”, pensei e prossegui:

– Isso seria majestoso! Mas o que você ganharia em troca?

– Paciência, Light Yagami. Primeiro as instruções. – ele disse e então esperei.

– Devo alertá-lo que, se aceitar o acordo, não voltará como humano. – Ozaru sorriu. – É bem mais excitante que isso!

O desânimo atravessou minhas feições. De que adiantaria voltar se não obtivesse nenhum proveito disso? No entanto, não argumentei. Sabia que seria melhor não expressar opinião alguma; sempre fui bom nisso.

O shinigami continuou como se tivesse notado meu transtorno interno:

– Não se preocupe, você tem muito a ganhar com isso. Terá a chance de permanecer no mundo humano, mesmo não fazendo mais parte dele. Realmente não me importo com suas bobagens de utopia, mas a questão é: preciso que retorne com um caderno em mãos. Presenteei-o a alguém que acha potencial a tomar o lugar de Kira, e o instrua. Mais uma coisa: você irá ao mundo humano como shinigami.

Meu sorriso alargou-se. Como um deus da morte, teria poder ilimitado para matar e livraria o mundo daqueles que não merecem viver. Vingaria-me de todos aqueles que contribuíram para minha queda. Pensando bem, desse ponto de vista minha morte não era exatamente uma queda, e sim apenas um passo a mais para seguir com minha inevitável vitória. Magnífico.

“E no fim, eu venci”, pensei. Quase desejei que L estivesse aqui para presenciar meu triunfo.

Foi então que Ozaru desfez parte de meu plano original:

– Não fique tão animado. Como sua essência ainda é humana, sua alma conseguirá apenas suportar parte da transformação. Você se tornará... digamos assim... um shinigami inferior.

Franzi o cenho.

– Shinigami inferior? O que quer dizer exatamente...?

Lentamente, Ozaru caminhou até mim, e me concentrei em não recuar. Não podia deixá-lo saber que sua proximidade me dava calafrios.

Ele me olhou e disse:

– O que quero dizer é que, tecnicamente, você não poderá matar. Quem fará isso será a pessoa a quem o caderno for destinado.

Assenti. Não gostava muito de várias partes do acordo, mas era melhor que nada. Pelo menos sairia daqui.

– Agora me diz, Ozaru… – questionei novamente – …o que você ganha com isso?

O shinigami gargalhou, desdenhoso:

– Almas, Light Yagami. Muitas almas. Ah, mais uma coisa: quanto mais vítimas conseguir para mim, mais chances terá de se tornar um verdadeiro shinigami. E então, aceita minha proposta?

Ele estendeu suas garras para mim e eu avancei obediente.

“E eu tenho outra escolha?”, pensei.


Não importava. Dessa vez, ninguém conseguiria me impedir.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Semana 37- O que o mundo virtual te trouxe/traz de melhor



Oportunidade de conhecer pessoas novas

Através de blogs e principalmente de comunidades do finado Orkut, eu conheci pessoas que hoje considero amigas. Poucas dessas pessoas eu tive a oportunidade de conhecer em carne e osso, mas suas mensagens por face, Orkut, E-mail, MSN e outros, valeram tanto quanto um encontro.

♥ Possibilidade de aprender coisas diferentes

Algumas coisas que li e que leio, expandem minha mente. Tem conceitos sobre os quais eu não havia pensando antes e o mundo virtual me possibilitou questionar algumas coisas e aprender.

♥ Melhoras na escrita

Como vocês sabem, eu já fui ficwriter. Graças a isso, adquiri alguma experiência em escrever. Aprendi alguns artifícios para deixar a linguagem clara e bonita. Ainda acho minha escrita simplista, mas evolui bastante. Já coloco acento grave no lado certo (sim, eu fazia crase assim: “á”)

♥ Contato com pessoas que não posso ver sempre

Claro que nada substitui o calor humano e algumas horas perdidas na calçada jogando conversa fora, mas agradeço o mundo virtual por me permitir conversar com amigas e amigos que moram longe – ou que moram perto, mas quase nunca vejo.

♥ Jogo


Sou noob, mas gosto muito de jogar. Jogar online então?! É uma beleza. Xingada bastante no LOL, viciada em Candy Crush, tive minha queda por Angry Birds – a mesma queda que estou tendo por Aga.rio, já fui joguei CS com meus professores de informática… adoro tudo isso. 

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Uma pitada de lolita em minha vida

Como vocês sabem, estou me tornando uma lolita. Estou começando bem devagar, já que estamos em crise e lolita não é um hobby barato. Talvez eu crie uma página de wardobre, como a Karine do My Subarashii Lolidays. Mas por enquanto, fica no talvez.

Um dos grandes desafios lolita é conhecer bem o estilo. É muito mais complexo do que parece e é preciso ler e pesquisar muito.

Sendo do meio otaku, invariavelmente você acaba se esbarrando com o termo “lolita” e o que vem a mente é uma garota vestida de boneca. Foi assim comigo também, e como a imagem na minha cabeça era bonita e fofa, fiquei com vontade de “fazer cosplay de lolita”. Coloquei entre aspas porque essa pequena frase é mais absurda do que parece. Lolita não é cosplay, é um estilo.

Sou nerd, então meus instintos pedem que eu pesquise antes. Logo no primeiro dia de googladas, encontrei esse vídeo:



Depois de assisti-lo, continuei minha pesquisa, e fui parar no blog Reino de Morango. Sério, eu até enviei um E-mail para a Ichigo, porque onde quer que eu pesquisasse sobre o assunto, era o blog dela a grande referência. Ela me respondeu, agradeceu o contato, foi super educada e atenciosa.

Seguindo uma das dicas encontradas em seu blog, que dizia para não ir tentando fazer um outfit sozinha de primeira, fiz meu primeiro vestido lolita inspirado na Momoko.

Esta é a Momoko...

... e esta sou eu tentando ser lolita XD

Se você não entende muito de lolita, deve ter achado o resultado lindo. Mas não, apenas não. Também achei lindo quando o vesti, mas faltaram algumas coisinhas, tipo, uma ANÁGUA DE VERDADE >///< E sim, eu estava usando anágua, mas uma de volume zero, do tipo que se encontra em lojas comuns. Eu achava que estava ok. Hoje sei que não está ok, mas é vivendo e aprendendo.

Dessa primeira tentativa de lolita para cá, muitas coisas mudaram. Conheci pessoalmente a Ichigo/Thaís, minha primeira e maior inspiração em lolita. Descobri lolitas locais e, embora ainda não tenha participado de um metting com elas, me sinto muito bem vinda e querida por essas lindas. Tenho algumas peças lolita, embora ainda falte coisas importantes, como um sapato. Encontrei inspirações em lolita (Ichigo, Karine e Kakao). E por fim, consegui A madrinha lolita. Thaís, muito obrigada por aceitar ser minha madrinha lolita e pelo tanto que tem me ajudado, mesmo antes disso.


Por hoje é só tudo isso. See you!

sábado, 19 de setembro de 2015

Capítulo 1 - Vazio



((Light))

Você já ficou preso em um nada inconcebível?

Bem... eu já. E a sensação é atordoante.

Uma eternidade em meio à escuridão. Sem frio, fome ou sede. Somente o abismo em volta de mim. Que futuro estranho destinado a alguém que sempre sonhou com a ascensão!

O tempo foi passando. Não, na verdade ele foi se arrastando – o tempo não passa para os condenados. E no interminável nada, flashes da minha curta vida passaram diante de meus olhos.

Quantas pessoas eu matei? Raye Pember... Naomi Misora... Todas aquelas vidas... Valeu mesmo a pena?

Suspirei. Diante do meu estado atual, não sabia bem.

Logo, o rosto do meu pai veio a minha mente. Ele, que morreu lutando por "justiça", sem saber que o Kira estava... tão perto...

Será que estou me arrependendo?!

Não! Tudo o que fiz foi pensando no bem de todos. Sempre soube que a humanidade viveria melhor sem todas aquelas escórias. Tenho certeza absoluta de que muitos possuíam a mesma ambição que eu, mas não tinham coragem e muito menos métodos para seguir em frente. Era mesmo tão errado querer um mundo onde não existisse mal?

Não. Não era.

Eu estava certo desde o início, e se pudesse faria tudo de novo.

E do nada, assim como começou, a escuridão se foi.

– Lugar estranho pra sentir remorso, não acha? - disse uma voz em algum lugar atrás de mim.

Automaticamente, me virei. E não gostei nem um pouco do que vi.

(...)

Era horrendo. Nada se comparava àquilo.

Seus olhos eram de um amarelo intrigante, nada proporcionais ao rosto. Este, por sinal, parecia uma enorme rocha intrincada de ossos humanos. Uma longa capa negra descia até o chão, serpenteando. Um par de asas gigantes banhadas em névoa vermelha ostentavam sua aparência maligna.
O poder exalava dele. Assustador.

De repente, lembrei-me que o shinigami havia falado comigo, mas as palavras simplesmente não saíam.

– Não vai perguntar meu nome? - o estranho questionou.

Meu coração teria acelerado se ainda batesse. Recuei um passo, mas de nada adiantou, já que o ser continuava chegando mais e mais perto, sem nem se dar conta.

– Tudo bem, vou acabar me apresentando de qualquer forma... Meu nome é Ozaru, sou o rei dos shinigamis.

Foi nesse exato momento que me lembrei de uma conversa que tive com Ryuuku ao que parecia ter sido eras atrás, quando ele me disse que enganou o rei dos shinigamis e resgatou dois cadernos. Hmm... Interessante...

Então, Ozaru sorriu. Era um som blasfêmico, arrepiante. Estremeci.

– E você é... ? - Ozaru perguntou, mas antes mesmo que pudesse responder, ele completou:

– Light Yagami. Atualmente, mais conhecido como Kira, se estou certo. Mas é claro, sempre estou.

Ozaru começou a andar de um lado para o outro, sem desviar os olhos de mim.

– Sempre estive de olho em você, Light Yagami. Suas atrocidades me impressionaram. Bem... Quero fazer um acordo com você.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Semana 36 - Morro de preguiça de



Oi, gente. Hoje eu estava até com preguiça de fazer este post. Estou com sinusite, e minha maior vontade é a de deitar e dormir até minha cabeça parar de doer. Mas, como estamos no mundo real, tenho que trabalhar e me preparar para uma apresentação da faculdade. É para hoje :D

Me considero uma pessoa preguiçosa. Porém, para não ficar feio, vou colocar só uns três itens ><.

♥ Levantar da cama em dias frios/chuvosos

Para mim, esses dias tinha que ser declarados como feriado. É muita maldade um ser humano ter que levantar no frio/chuva, e sair em sua moto com vento gelado na cara.

♥ Colocar em prática as coisas que planejo
Tenho uma habilidade monstra para planejar coisas, eventos, etc., mas tenho uma dificuldade diretamente proporcional em colocar tais planos em prática. Precisando de ajuda para planejar, estou aqui. Agora, se for para tirar as coisas do papel… vai demorar.

♥ Fazer as roupas combinarem

Essa é o meu grande obstáculo em lolita. Tudo bem que por enquanto eu não tenho peças o suficiente para me preocupar se elas combinam ou não, mas eu tenho dificuldade em combinar roupas. Depois que eu finalmente aceitei isso, eu abro o guarda-roupa e coloco o que eu achar que vai ser confortável. Chamo isso de preguiça, mas no fundo é um pouco de falta de talento também. 


Uma imagem da Ahri, porque quando olho para ela lembro da minha cunhada. 

Ah! Hoje é aniversário da minha cunhada. Parabéns para ela! No ano passado fiz um bolo de morango em formato de coração no aniversário dela (aquele do meu instagram). Só depois descobri que ela não gostava muito de morango ><”

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Todas as capas que já tivemos

Hoje é post super curtinho. Enquanto mexia nas imagens do blog, observei o quanto ele evoluiu e mudou ao longo do ano. Então, decidi mostrar para vocês todas as capas que o blog já teve. Bora matar saudade?









sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Semana 35 – Minhas piores compras foram

Esse vestido da foto

Fiquei barrigudinha na foto XD


Na época em que comprei esse vestido, estava entre ele e um outro que me agradou mais, entretanto uma ex-amiga me convenceu de que eu ficava muito mais bonita nesse vestido. E, sabe aquela época da sua vida que você fica apaixonadinha e acha que tem que parecer algo que não é para chama atenção do tal garoto? Essa idiota era eu :D Usei ele duas vezes e depois dei para uma amiga. Não faz meu estilo.

♥ Essa sapatilha



Ela é linda e pensei que fosse lacear, mas ela machucava meu pé e nunca se ajustava bem a ele, então dei para uma amiga também.

Bom, gente, eu não tenho muitas coisas para colocar aqui, porque quando eu compro algo que não me agrada, eu dou um jeito de me livrar da coisa em questão. Geralmente eu dou para alguém, mas às vezes eu simplesmente jogo fora mesmo. Assim, eu acabo deletando a tal compra da memória.

E vocês, se arrependem muito de alguma compra? 

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Semana 34 – Livros que eu acho que todo mundo deveria ler

E apenas para não perder o costume, postarei a TAG da semana passada e desta, porque eu atrasei :D Estou tentando criar uma rotina melhor de postagens, mas por enquanto ainda não está como eu gostaria. Em todo caso, estou gostando do resultado.

Ao contrário do que possa parecer, é bem difícil para mim, escolher livros que eu acho que todo mundo deveria ler, pois eu leio muitos livros e sou de fases. Às vezes me identifico com uma história, às vezes com outra… depende do espírito. Mas mesmo assim vou tentar.

Depoimentos de um pai de adolescente



Esse livro é nacional, de leitura fácil e muito cômico. Ele aborda o tema “adolescência” com bom humor e uma dose de verdade. Todos os seres do universo deveriam ler ele!

♥ Pequeno Príncipe



Embora clichê, eu indico esse livro. De uma forma simples e pura, o Pequeno Príncipe aborda grandes problemas da sociedade atual, questiona-os e nos faz questionar também. Na verdade, os problemas que ele aborda parecem afetar a sociedade como um todo e parece ser algo que se repetirá por muito tempo ainda.

♥ Um dia de cada vez



A história desse livro é emocionante e põem em cena o tema estupro sob o ponto de vista da vítima. Culpa é um dos sentimentos mais fortes, assim como vergonha e medo. E a violência pode vir de quem menos esperamos. É importante que assuntos assim surjam, para que as pessoas possam ter uma ponta de inspiração para falar. Quando se sofre uma violência dessas é difícil falar sobre e procurar ajuda, e poder assistir isso de perto através da história é bastante comovente e nos traz muitas reflexões sobre a vida.


Por hoje vou deixar apenas esses três, mas acho que todos os livros do mundo deveriam ser lidos u.u Achei esse post grande, então vou postar a TAG dessa semana em um post diferente. Até mais!

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Oremonogatari - resenha



Título: Oremonogatari
Autor: Kazune Kawahara
Gênero: shoujo (?), amizade
Anime: em andamento

Takeo Gouda é um cara alto, forte e musculoso que dá medo na maioria das meninas e é muito admirado pelos meninos. Apaixona-se facilmente, porém, toda vez que isso acontece, a garota em questão se apaixona por Makoto Sunakawa (Suna), seu melhor amigo desde os tempos da infância. Mas essa situação muda quando Takeo salva uma garota em um metrô e desde então ela parece gostar muito de estar na presença dele.



Para mim foi muito, muito, muito difícil mesmo escrever essa resenha. E o motivo é simples: eu não gostei desse anime. Sendo justa, é um anime diferente, onde o personagem principal não é o cara perfeito e super popular, e sim alguém que não se encaixa nos padrões de beleza e que, em contraste com sua aparente dureza, tem um coração bondoso. Já o Suna… ele se encaixa em todos os clichês construídos dentro do universo shoujo.

Esses dois têm uma amizade verdadeira e de longa data, que é de longe a coisa mais legal dentro do anime, sério. Apesar de todos os resumos e até mesmo os primeiros episódios venderem uma ideia de romance, esse não é o ponto forte dessa história.

Rinko Yamato é a garota salva de um tarado pelo Takeo, e que se apaixona por ele graças a esse ato de heroísmo. Ela e fofa e seu traço mais marcante de personalidade é “adorar o Takeo”. É sério, que tipo de menina seria como ela? Acho que o autor criou esse shoujo para ser algo que agrade ao público masculino, porque ela é a típica namorada perfeita que só pode ser encontrada em jogos ou imaginação. Ela é totalmente dispensável na história, e o Takeo e o Suna fazem um casal melhor do que o Takeo e a Yamato.

E outra coisa que não me agradou no anime foram as coisas absurdas do tipo o Takeo cair de uma montanha e tudo bem (: Só que não.


Para concluir, só quero lembrar que isso é uma resenha e resenha é opinião, ou seja, essa é minha opinião sobre o anime. Se achar que deve assistir, assista e tenha suas próprias impressões. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 renata massa