sexta-feira, 15 de maio de 2015

Mangá não é apenas coisa de criança


Em uma aula da faculdade, uma professora propôs um trabalho para identificar se sabíamos ou não distinguir textos narrativos, dissertativos e descritivos. Quase todos eram trechos e tinham que ter o mesmo tema. Escolhi o tema mangá e como o único texto que ela pediu completo foi o dissertativo, estou aqui para dividir com vocês. E só mais uma coisinha: eu realmente não acho ofensivo gostar de coisas de criança. Embora muitas pessoas digam “Ah, mas anime é coisa de criança”, sempre falo que depende do anime – vou te emprestar meu mangá de Elfen Lied, depois a gente conversa. Têm uns que realmente são, mas e daí se eu gosto desses também? Me processe u.u Achei que seria um tema legal de trabalhar, e escrevi. Boa leitura! 

Mangá não é apenas coisa de criança

Muitas pessoas associam mangá a anime, e anime a desenhos animados infantis. Dessa forma, deduzem que anime e mangá são hobbys para crianças. Embora a grande maioria dos animes se originem de mangás, os temas abordados nas histórias não são desenvolvidos exclusivamente para o público infantil. Então, o que é mangá e qual é seu público alvo?

Mangá é o nome dado às histórias em quadrinhos japonesas, e o que o diferencia das histórias de quadrinhos ocidentais é principalmente a arte. Enquanto o comic americano tem, geralmente, três ou quatro quadrinhos por fileira, é comum encontrar mangás que tenham apenas uma imagem na página toda. Isso acontece porque um volume de mangá tem, em média, 200 páginas, o que possibilita uma maior exploração da história através das imagens.

Por ser uma arte muito apreciada no Japão, várias editoras publicam mangás com os mais variados temas. Quando um mangá faz bastante sucesso, ele é transformado em animação, conhecida como anime. E tanto anime, quanto mangá, são difundidos ao redor do mundo através de canais de televisão e da internet.

Como citado anteriormente, os mangás têm temas bastante diversos. Eles podem ter como ideia central esporte, amor, guerra, vida escolar, literatura japonesa e chinesa, finanças, economia, trabalho, entre outras. O público-alvo muda conforme o tema. Dificilmente uma criança se interessaria por um mangá que aborda a economia, por exemplo. Entretanto, ela pode facilmente ser atraída para um que conte uma história de amizade e fantasia.


Com essas informações pode-se concluir que o estereótipo de que fãs de anime e mangá são infantis, é errôneo. Na realidade, o que determina o público-alvo, é o tema escolhido para ler ou assistir.

2 comentários:

  1. Eu to nem aí se é de criança ou não, eu sou livre pra gostar do que eu quiser u.u. E não vejo problema em quem gosta de coisas mais infantis. Ultimamente quando falavam que anime era coisa de criança, eu me importava, mas agora to nem aí, porque anime tem de tudo um pouco.

    Ah e adorei o texto, realmente descreveu bem o mangá e o porque dele não ser apenas algo infantil. Gostei bastante! É bem assim mesmo, conforme o tema e os gêneros, é o que determina o público.

    Beijinhos >.<

    ResponderExcluir
  2. Olá, Nanda-chan! É isso aí, a gente é livre para gostar do que quiser. Antes eu me importava também, mas depois percebi que quem tinha essa concepção era ignorante demais, porque estava julgando um assunto sobre o qual não tinha o mínimo conhecimento.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada por ler!

Seja educado
Deixe seu link para que eu possa visitá-lo
Sinta-se livre para compartilhar as postagens, mas dê os devidos créditos

Até a próxima!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 renata massa