segunda-feira, 30 de março de 2015

Campeonato de Magic

Olá! Ontem eu participei do meu primeiro campeonato de Magic. O torneio foi organizado entre amigos, estava marcado há algum tempo e finalmente chegou o grande dia.

Era para ter começado às 10 horas, mas como algumas pessoas se atrasaram, eram quase 11 horas quando finalmente começamos a distribuir os boosters.



Cada participante escolheu previamente a cor de seu deck e na hora tiramos nos dados quem escolheria os boosters primeiro. Cada um recebeu dois boosters da cor escolhida e mais dois com cartas aleatórias. Na uma hora seguinte trocamos cartas entre nós para construirmos nossos decks. As manas ou foram trazidas de casa, ou foram compradas na hora.

Pessoal trocando cartas
Começamos com nove participantes, entretanto, com duas desistências, a coisa começou ficar meio bagunçada, pois na primeira rodada seria eliminada uma pessoa, ficando assim um número par de participantes. Com oito pessoas competindo na segunda fase, em poucos jogos teríamos os semifinalistas.



Tirei poucas fotos...

O sistema de competição era o sistema suíço, por ser mais justo e oferecer chances a todos os participantes. Até porque têm jogos que você perde, não porque seu deck está ruim, mas porque você não veio com as cartas que precisava – muita mana, pouca mana etc.

Por fim, após quase 12 horas de jogos, tivemos os três campeões, que receberam boosters fechados. O primeiro lugar recebeu três boosters, o segundo recebeu dois, e o terceiro, um.

Os quatro semifinalistas
Vale ressaltar que a cor que dominou o campeonato foi a vermelha.

Meu love - primeiro lugar e as suas melhores cartas no jogo


Segundo lugar e suas melhores cartas no jogo


Terceiro lugar e suas melhores cartas no jogo


Eu e meu azul e branco saímos na segunda fase i.i Mas meu namorado lindo me deu quase todas as cartas que saíram nos boosters. Acho que ele tirou uma ou duas para ele. É quase como se eu tivesse ganhado o campeonato #sqn 

domingo, 29 de março de 2015

Semana 12 – Coisas para se fazer no frio



Eu gosto de um friozinho. Nada de frio forte que te obriga a colocar tanta roupa de frio que tem que andar como um robô desarticulado. Enfim, vamos as coisas para se fazer no frio.

♥ Tomar sorvete

Para mim o frio é a melhor época para tomar sorvete. Mesmo que na terceira colher meu nariz esteja escorrendo por causa da temperatura, eu sempre vou tomar sorvete quando está frio.

♥ Ficar embaixo das cobertas…

… e fazer qualquer coisa que não me obrigue a sair dali. Comer, assistir anime, dormir…

♥ Não trabalhar

Hahaha! Não podemos realmente escolher isso, mas eu gosto de ficar na minha casa quando está frio. Não dá vontade de sair da cama. É um fenômeno que acontece comigo em dias de chuva também.

♥ Abraços quentinhos

Abraçar pessoas é muito bom no frio. Claro que não saio por aí abraçando pessoas aleatórias, mas o meu namorado, minha mãe ou primos pequenos pegos desavisados servem. Adoro ficar segurando a mãozinha gelada dos meus primos até esquentar. Acho bonitinho o nariz gelado e o rosto corado.

♥ Comer


Claro, esse é o item principal. Mas aqui vou defender que temos que comer coisas quentes como sopas (amo sopas!), bolos, chás e afins. 

quinta-feira, 26 de março de 2015

Bakuman – Spoilers

Sempre tenho uma sensação estranha quando acabo de ler alguma coisa. E tenho também vontade de escrever textos enormes sobre isso. Esse post de hoje é sobre Bakuman, é um texto repleto da minha opinião pessoal e de spoilers.

Futuramente separarei spoilers, resenhas, mangá e anime de forma organizada. Mas por agora, as coisas vão ficar assim.

Agora vamos falar sobre Bakuman. Nesse mangá você encontra:

Pessoas usando frases legais de outras pessoas sem dar os devidos direitos autorais.
Yoshida conversando com Yamahisa...
... e aí, quando é indagado pelo Kazuya...





Pedidos de casamentos inusitados.

Como esse...

... ou esse.

Coincidências que não são tão coincidência assim.

Niizuma Eiji

Mitsutoshi Shimabukuro - autor de Toriko


E pessoas um pouquinho sentimentais.



Enrolei bastante para concluir essa leitura, principalmente pelas partes maçantes. Entretanto, no meio de coisas que podem ser consideradas desnecessárias, tem uma história muito boa.

Para quem quer ter uma ideia de como funciona o mundo editorial por trás dos mangás, Bakuman é uma grande leitura. Muitas dúvidas de como criar uma história, seus pontos fracos e fortes, como publicar e tantas outras, são inseridas naturalmente no enredo do mangá, e quando você percebe está manjando dos paranauê. Teoricamente, claro.

Às vezes pode ser fácil apontar seu personagem favorito, mas quando se trata de Bakuman, acho isso bastante complicado. Gosto muito do Eiji, mas gosto principalmente da Kaya-chan.

O Eiji é todo auto confiante e tem muito talento. A forma como ele se coloca como rival do Ashirogi e os incentiva através disso é muito legal. Embora no Brasil a maioria das pessoas fiquem com inveja quando alguém vai melhor em algo, esse espírito de “Eu posso superá-lo” é louvável – e de longe, muito mais bonito.

A Kaya-chan é aquela pessoa apoiadora. Ela pode parecer comum e não muito inteligente, mas ter alguém como ela na vida faz toda diferença. Às vezes estamos desanimados de tudo, e quando essa pessoa que está ali para nos incentivar solta suas palavras de estímulo, nos sentimos melhores. Só acho. Se bem que sou meio suspeita, porque eu me identifico com ela. Hahaha

Gostei bastante da história e acho que atingiu bem seu objetivo. Não é algo que você leia e sinta que deixou a desejar. O final foi bem desenvolvido e o óbvio aconteceu: Miho conseguiu o papel de dubladora da heroína em um grande sucesso escrito por Ashirogi Muto, ou em outras palavras, desenhado por Mashiro. Mais interessante do que chegar nesse ponto óbvio, foi como chegaram. A construção foi boa a ponto de eu sentir uma lagriminha se formando no cantinho do olho quando vi isso:

Quando todos achavam que ela só faria o papel por ser namorada do autor,
ela mostra o que é ter talento para a coisa

E só um conselho que vale não apenas para Bakuman, mas para todos os mangás/animes que você for ver: conheça a cultura japonesa. Não acho que quem gosta de anime obrigatoriamente tem que idolatrar o Japão, mas é claro que quando você conhece a cultura nipônica, você enxerga as histórias com outros olhos. É legal captar referências, reconhecer lendas e crenças na história sem precisar daquela notinha no canto da página do mangá. Eu, pelo menos, me sinto feliz com isso.


E vocês? O que acharam quando leram Bakuman? Quais foram suas partes e personagens favoritos?

terça-feira, 24 de março de 2015

5 animes que seus filhos precisam assistir

Olá! Como vocês sabem, eu gosto do número 5, então quase tudo que faço é top 5 qualquer coisa. Hihi. Hoje passarei uma listinha dos animes que acho que toda criança deveria assistir e porquê.

 ♥ Digimon



Sim, aquele primeiro Digimon. Uma grande história de amizade entre as crianças e os digimonstros. As batalhas – que hoje eu vejo e acho algumas bobinhas – inspiraram muitos sentimentos positivos em mim um dia. E sei que podem fazer isso em outras pessoinhas também.

♥ Hamtaro



Quem se lembra de Hamtaro! Aquele hamster (só eu que acho estranho o jeito que se escreve isso?) fofinho que junto com seus amigos vivem grandes pequenas aventuras. E no final do dia estão lá, bonitinhos, em sua gaiola como se nunca tivessem saído de lá.

♥ Sakura Card Captor



Tem coisa mais legal do que o universo de Sakura e sua busca pelas cartas clow? Isso, é claro, ao lado de sua super melhor amiga Tomoyo. Dizem por aí que a Tomoyo e a Sakura vivem um romance (?). Bom, nunca vi nada que insinuasse isso, então, mesmo que elas sejam namoradas em algum universo paralelo, a história é boa, inocente e perfeita para fazer os futuros otakus se apaixonarem pelo mundo dos animes.

♥ Pokémon



Todo ser humano, otaku ou não, sabe quem é o Pikachu. Pronto, esse é meu maior argumento. Não, brincadeira. Vamos concordar que com o tempo Pokémon se torna um anime maçante e repetitivo, mas nos primórdios da história é uma delícia assistir. Dê uma iniciação aos seus filhos e deixe eles decidirem se querem continuar assistindo ou não.

♥ Dragon Ball



Ok, hoje em dia quando te perguntam “Qual o primeiro anime que você assistiu?” e você diz DBZ, todo mundo fala que não conta – ainda me pergunto o porquê. Mas muito provavelmente nossos filhos não verão DBZ em canal aberto ou em qualquer outro. Cabe a você apresentar seu filho ao Goku!


É isso aí, pessoal. Esses serão os animes que eu terei em estoque para mostrar aos meus filhotes quando eu os tiver, claro. O tiver, no singular. Porque só um já está ótimo. E vocês? Que animes acham que seus filhos precisam assistir?

segunda-feira, 23 de março de 2015

Divisor de águas

Yo, minna!

Como puderam notar, seja pela baixa frequência de postagem, seja por postagens como essa, eu estava (sim, no verbo passado) bastante desanimada com o blog. É bem verdade que me dedico a ele, e que a ausência de comentários e seguidores me deixa tristinha T.T Mas é verdade também que eu gosto de ser otaku e a realidade é que eu comecei escrever por causa disso: eu amo ser otaku.

Tentei escrever não apenas coisas que eu achava interessantes, como também sobre coisas que vocês, leitores, poderiam achar interessantes. Muito obviamente não consegui determinar o que é interessante ou não. Pedi opiniões aos próprios seguidores/leitores e ouvi o som dos grilos ecoando pelos cantos do blog. Pedi alguns conselhos informais para algumas pessoas do meio. E foi aí que eu parei para me perguntar o que EU espero do blog.

E obtive respostas bem satisfatórias. Quero dividir com as pessoas minha paixão otaku, quero mostrar as coisas que eu acho interessante. Gostaria de ter um feedback? Claro! Mas esse não é o motivo pelo qual eu escrevo, e já tinha me esquecido disso.

Isso pode soar narcisista, porém eu escrevo para me impressionar. É pura e simplesmente porque eu gosto de fazer isso.

Então, agradeço quem me segue, agradeço os comentários que já recebi e quero dizer que a postagem de hoje é uma divisora de águas.


À partir de agora o blog pode ficar pessoal demais, mas eu estarei mais feliz com ele. Isso iniciará com mudanças que vocês perceberão aos poucos… aguardem!

sábado, 21 de março de 2015

Semana 11 – Meus brinquedos preferidos na infância eram

♥ Peposa



Não sei ao certo quando ganhei a Peposa, mas o fato é que ela está em várias fotos de família me acompanhando. É uma exatamente igual essa da foto, até a roupinha. Tenho ela até hoje… adoro a Peposa.

♥ Pipa



Eu era uma menina no meio de 3 irmãos, então é meio óbvio que eu gostasse de brinquedos “de menino”. Quando eu era criança meu pai levava eu e meus irmãos para soltarmos pipa e pegar vaga-lumes.

♥ Bolinha de gude



Mesma justificativa do item anterior. Eu gostava mais daquelas pequeninas com risquinho colorido por dentro, que chamávamos de olho de gato. Até que parece um olho de gato, né?
Ah, você alguma vez na vida já chegou uma bolinha de gude bem próxima do olho e olhou em direção a alguma luz (lâmpada)? Muito legal.

♥ Boneca de pano

Nem perdi meu tempo tentando procurar, porque sabia que não ia encontrar a que eu queria. Minha bisavó me presenteou com uma boneca de pano que eu amava de paixão. Ela chamava Roberta e era do meu tamanho.

♥ Cavaleiros do Zodíaco



Na verdade, eu brincava com os dos meus irmãos, porque a minha avó que deu os bonecos de presente para eles disse que não ia me dar porque eram brinquedos “de meninos”. Então, quando brincávamos de lutinha, eu sempre pegava o boneco de um deles.


A moral da postagem de hoje é: Quando eu tiver um filho(a), não deixarei de dar um brinquedo para ele(a) porque é de “menino ou de menina”

sábado, 14 de março de 2015

Semana 10 – Minhas comidas favoritas são

♥ Pão de queijo



Gosto de comer pão de queijo sem frescura. Nada de presunto, mussarela, manteiga ou qualquer outra coisa que possam inventar de socar no meio. Eu gosto de pão de queijo puro.

♥ Sorvete de maracujá



Na verdade gosto de praticamente qualquer coisa que tenha maracujá.

♥ X-tudo

Não é tão lindo como na imagem, mas é muito gostoso


Não sei se esse é o nome pelo qual o tal lanche é conhecido em todos os lugares, mas é composto por pão de hambúrguer, salsicha, presunto, mussarela, ovo, alface, tomate, bacon. Acho que é só isso, e sempre que vou em algum lugar que tenha isso para vender, eu olho todo o cardápio que acabo sempre pedindo um X-tudo.

♥ Pizza de presunto e mussarela

Aquele momento em que você se lembra que está com fome


Embora o Word não concorde com a escrita, quando eu vou na pizzaria está escrito “mussarela” u.u Sim, eu saio da minha casa e vou na pizzaria comer pizza de presunto e mussarela. Por quê? Porque é meu sabor favorito universal, oras.

♥ Sushi



Para mim sushi tem gosto de Japão. Essa foi, provavelmente, a primeira comida japonesa que experimentei. Não foi uma experiência agradável na primeira vez, por causa da diferença de paladar, mas hoje eu amo! E minha mãe até aprendeu preparar só porque eu gosto de comer. Tenho uma mãe linda <3

Na verdade gosto de comer muitas coisas, mas como gosto do número cinco, vou parando por aqui.

Curiosidade aleatória: você sabia que o X de X-tudo, X-bacon, X-qualquer coisa significa "queijo"?


See you!

quinta-feira, 12 de março de 2015

Sendo uma otaku no face!



Olá! Está acabando de sair do forno a página do blog, assim, bem fresquinha e nova. Estou adorando a experiência, e claro, vim convidar vocês para curtir também. 

Com o intuito de divulgar o blog, ganhar mais seguidores e ampliar os horizontes do Sendo uma otaku, criei a página no face. Colocarei lá todas as postagens do blog, atualizações e outras coisas relacionadas.


E aí, está esperando o que para curtir?

quarta-feira, 11 de março de 2015

Vamos fazer um trato?



Olá! Hoje o assunto não é anime, mangá, dorama e nem coisas relacionadas. Quer dizer, mais ou menos. Hoje quero falar de mim, de você e do Sendo uma otaku.

Criei esse blog, em primeiro lugar, porque gosto de blogs, de animes, da cultura japonesa… gosto dos assuntos que trato no blog. E creio que quem acessa o blog também goste. Até porque só acompanhamos realmente aquilo que gostamos.

Todo dia que entro aqui, vejo que os números de acessos aumentaram, e é claro que isso me deixa extremamente feliz. Em contrapartida, o número de followers continua o mesmo, comentários são espécies em extinção, e isso é bastante broxante para qualquer blogueiro, pequeno ou grande.

O que move o blog, claro, é inspiração, amor, dedicação, mas são também os comentários, os seguidores… é um grande conjunto de coisas.

Na minha opinião – e vale ressaltar que eu sou café-com-leite – o design do blog é agradável, as postagens são interessantes, a totalidade é organizada e fácil de entender. Mas posso estar errada. Então, se algo parece meio errado ou confuso, deixe sua sugestão. Se for algo que está em meu alcance, vou tentar melhorar.

Por último, quero pedir que faça um pequeno esforço para deixar de ser um leitor fantasma e dê um oi para a autora do blog. Não mata, não dói, e aumenta a vida útil do blog.


Bezo bezo ‘3’

domingo, 8 de março de 2015

Semana 9 – Pessoas que eu gostaria de conhecer/ter conhecido

♥ Raiza

Assim mesmo, só com primeiro nome que é para ninguém roubar de mim. Haha. Uma pessoa que conheci em uma comunidade de fanfic, e alguém muito especial. É aquele tipo de pessoa que você pode ficar séculos sem falar com, que mesmo assim quando conversarem será como se todo esse tempo não tivesse passado.

♥ Katsura Hoshino



Para quem não conhece, essa é a autora de D-Gray man. Na minha opinião essa é uma grande história. Mas a autora está doente, e por isso a história está incompleta. Gostaria de perguntar para ela que fins ela imagina para sua história. Com um intérprete do lado, claro.

♥ Ichigo



Ela é autora do blog Reino de morango, e sempre achei o conteúdo do blog muito construtivo para quem se interessa por moda Lolita. Embora ela seja um pouquinho (pouquinho??) perseguida por haters, é alguém que eu admiro muito e gostaria de conhecer.

Realmente gosto do número cinco, mas não consigo pensar em cinco pessoas, então fica 3 mesmo. 

sexta-feira, 6 de março de 2015

Um sentimento, não um número


Eu muito provavelmente abordarei esse mesmo tema diversas vezes porque sim. E para que fique bem claro logo de cara: para mim, ser otaku é um sentimento e não um número.

Por que estou dizendo isso? Porque existem pessoas que acham que um otaku é determinado pela quantidade de anime que ele assistiu. E eu discordo.

Sim, eu acho legal ter uma lista dos animes que já assistiu, e se puder incluir um resumo junto ao nome, melhor ainda. Assim você vai se lembrar do que já viu, vai poder indicar para seus colegas e amigos, e se sentir saudade da história, poderá revê-la ou só relembrá-la através do resumo.

É por isso que eu tenho uma lista aqui no blog e é por isso que eu substituí os números por corações.

Por algum motivo as pessoas têm a necessidade de diminuir umas as outras para se sentirem maiores. E assim vejo por aí pessoas vomitando regras de como um otaku deve ser, o que ele deve assistir, comer, vestir ou coisas do gênero. E vejo outras pessoas seguirem essas tais regras e acharem que são melhores do que aquelas que não as seguem!

Isso não faz sentido.

Quando estou assistindo um anime, não penso algo como “Faltam três episódios para acabar, aí eu vou ter mais um anime na minha lista e posso começar assistir outro para engrossar a minha lista ainda mais e ser uma otaku melhor”. Penso coisas sobre a história, sobre os personagens. Choro, me emociono. Odeio uns personagens, me espelho em outros. Eu sinto.

E é isso. Ser otaku é sentir.

Você se sente bem, se sente feliz quando está envolvido em um anime. Fica triste porque acabou, começa assistir outro porque acha a história boa. Pensa em finais alternativos, fica ansioso esperando o capítulo da semana. Tem brilho no olho quando vai discutir com alguém sobre o anime que está vendo no momento, e se a pessoa conhece o anime então! Aí sim é felicidade total.

Se você assiste animes única e exclusivamente para atingir um estereótipo que alguém predeterminou, me desculpa, mas isso não te torna mais otaku do que ninguém. 

quinta-feira, 5 de março de 2015

Capítulo 9 - Aprendendo a dar valor



Durante as três semanas que se seguiram, não vi mais a Hinata. Fiquei com aquele beijo na cabeça. Quem devia ter se desculpado era eu. Eu a beijei e não o contrário. Embora ainda não entenda porque o fiz e nem me arrependa de ter feito. Queria falar com ela sobre isso. Queria beijá-la novamente. Balancei a cabeça, tentando afastar esse pensamento. A única garota que eu deveria querer beijar era a Sakura-chan.

Mas eu não quero mais.

“Que confusão!

Talvez a vovó Tsunade tenha alguma missão para mim. Assim eu me distraio um pouco.

Cheguei na sala da Hokage, mas ela não estava lá.

“E onde ela está?” perguntei a um cara de cabelo espetado que usava uma faixa no rosto.

“Está fazendo uma operação especial.

“A vovó Tsunade está em uma missão?” perguntei surpreso.

“Não esse tipo de operação, Naruto. Está operando uma kunoichi que se feriu gravemente em batalha. Você deve conhecer. É a Hinata Hyuuga. E...

A voz do dele foi diminuindo, até que eu não conseguia ouvi-lo mais. Meu cérebro se recusava a processar aquela informação.

Se feriu gravemente.

Se era a vovó Tsunade quem estava cuidando dela, então a situação era muito grave. Meu coração estava apertado. Sentia muito medo. Medo de que ela morresse. Eu não aguentaria.
Eu a amo! Admiti, pela primeira vez. Era isso, o tempo todo. Aquilo que eu sentia, mas não conseguia explicar. Por que só damos valor naquilo que perdemos? Repreendi-me por pensar assim. Ela ainda está viva. Ela precisa estar viva.

Usei minha velocidade adquirida com o controle do chakra da kyuubi, para chegar rápido ao hospital.

No fim do corredor, vi aquela placa vermelha acesa. Ainda estavam operando-a. O Kiba estava com um braço engessado, sentado num banco do corredor.

“Kiba! O que aconteceu? A Hinata está bem?

Aquilo nos olhos dele eram lágrimas?

Gelei na hora. Não pode ser!

“A operação não acabou ainda, então não sei se ela está bem.

Essas palavras me acalmaram superficialmente.

“O que aconteceu?” Perguntei novamente.

“Nós falhamos, Naruto. Naquela missão em que o meu time e o seu saíram juntos. Fomos enganados. Todos aqueles ninjas do Som também foram enganados. Eles estavam sobre o efeito de um jutsu que os obrigava a fazer e falar coisas que não queriam. Nós lutamos contra um monte de caras, que eram da Akatsuki. Eles eram todos iguais. Acho que o nome era Zetsu. Eu e o Shino fomos menos feridos. O Akamaru e a Hinata... Droga, eles nos pegaram de jeito! O tal de Zetsu também estava capturando os ninjas do som, seus próprios aliados! Só não sei para que eles os querem. Não são tão fortes. Conseguimos escapar. Mas a Hinata perdeu muito sangue. Está muito machucada. E o Akamaru...ele quase morreu!

Não tive escolha, a não ser esperar. Esperei por horas que pareceram uma eternidade. Desejava, do fundo do meu coração, que o desfecho dessa operação fosse positivo. O que eu vou fazer se ela morrer?


segunda-feira, 2 de março de 2015

Aquarela do anime


Olá! Essa música que vou postar agora é de minha autoria, e foi escrita há muito tempo. Nem me lembro se eu estava no fundamental ou no médio quando eu escrevi, só lembro que faz muito tempo.

Escrevi ela inspirada na música “Aquarela do Brasil”, então faz mais sentido se você ler no ritmo dessa música. Estou pensando em fazer um vídeo cantando ela… se eu fizer isso posto aqui.

Se você copiar, total ou parcialmente, coloque os devidos créditos, bem como o link do blog. Plágio é crime!

Aquarela do anime

Numa banca qualquer eu compro um mangá do Naruto
A história é empolgante, eu termino de ler num minuto
Pego o mp4, clico na abertura de Bleach
Acompanho a canção, lembro de uma luta marcante
Já pensou se eu tivesse um mamodo igual o Zatch Bell?
Nós iríamos treinar e o nosso limite seria o céu

Viajando, procurando a fórmula da pedra filosofal
Fullmetal Alchemist são os irmãos Ed e Al
Mas o preço é alto, não dá pra pagar
São tantas vidas a sacrificar

Entre todos, Ash vai ser o melhor treinador de pokémon
Sempre junto dos amigos para completar sua missão
Contudo a dúvida que não quer calar: fico a me perguntar se o Pikachu
Evoluirá

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 renata massa